26 de maio de 2011

A NOVA CAPITAL DO BASQUETE


Se o futebol de Brasília está em uma situação tão crítica, decadente e constrangedora, o basquete da capital federal aparece como uma fuga para os brasilienses que, há tempos, aguardavam momentos de felicidade e orgulho adquiridos através do esporte local. Qual o rumo que o mundo esportivo do Distrito Federal vai tomar, eu não sei, pois só posso dizer o que eu vi na final do Novo Basquete Brasil...



Eu vi quase 20 mil pessoas trocarem todos e quaisquer compromissos para acompanharem quatro quartos de 10 minutos.



Eu vi mulheres e idosos torcerem como se fosse uma final de Copa do Mundo de futebol, comemorando efusivamente a cada cesta.



Eu vi torcedores gritarem e reclamarem com o juiz, mesmo sem ter a menor idéia do que significavam os gestos que ele fazia.



Eu vi uma multidão bater aquelas “baguetes” de plástico, que são mais insuportáveis do que a vuvuzela, com um só objetivo: apoiar o time.



Eu vi o brasileiro ser o mais brasileiro possível, saindo de uma final de campeonato com latinhas de cerveja na mão e buzinando feito loucos.



Eu vi, em um ato de previsão futurística, o que está por vir: uma imensidão de crianças que, por causa de um simples título, vão passar a sonhar além dos gramados e dos gritos de gol.



E por fim, eu vi o dia em que a bola laranjada triunfou e que a capital do rock, dos políticos corruptos e do céu divino, se tornou, também, a CAPITAL DO BASQUETE!



Leia Mais…

18 de abril de 2011

BREVITAS: MUITO ALÉM DO ÚLTIMO SUSPIRO

Morreu? Não deu tempo de se despedir de quem você ama? Volte no tempo e se cadastre no site Brevitas ora bolas!


Imagina ter a chance de se despedir de alguém mesmo depois da morte. O site Brevitas é um serviço especial que serve para preparar as pessoas para o inesperado, oferecendo a oportunidade de deixar recados, revelações que julgava ser comprometedoras, declarações de amor ou até cobranças daquela pessoa que achou que iria se livrar com a sua morte. Esse novo tipo de “seguro” tem angariado inúmeros adeptos que pagam mensalmente pela certeza de que as pessoas que ama vão ouvir uma palavra final e mais agradável. Porém, há controvérsias e nem todas as pessoas desejariam desenterrar o passado dessa maneira.



Um desentendimento com a família foi o ponto de partida. Depois de discutir com os pais, o empresário Luiz Gigante saiu de casa irritado e acabou sofreu um sério acidente de carro, onde teve que ser socorrido pelo resgate em meio às ferragens. Do momento desse susto até o dia em que saiu do hospital, o empresário só tinha uma coisa na cabeça. “Eu só conseguia pensar na briga que tive com meus pais, em pedir desculpas pelo que disse ou dizer que os amo, pelo menos. Se tivesse acontecido algo pior comigo essas coisas importantes ficariam para trás”, explicou. E dessa própria angústia de se preparar para o inesperado surgiu o Brevitas.



Não deixa o destino te privar de expressar seus sentimentos”. O slogan do site é auto-explicativo. O nome também. Brevitas significa brevidade em latim. De acordo com Luiz, o objetivo primordial do site é registrar esse sentimento e apresentar da forma mais adequada aos familiares ou amigos de quem partiu. “O serviço foi criado pensando inteiramente na sua tranquilidade. Por isso, não poderíamos deixar de pensar também na facilidade e simplicidade do seu uso”, afirma.



PLANOS



São quatro tipos diferentes de planos. O gratuito, que permite somente o uso de mensagens de texto; o básico, que custa R$ 19,90 ao ano e tem todos os recursos, mas com quantidade limitada; o Brevitas 1, no valor de R$ 49,90 ao ano onde o contratante pode deixar gravadas diversas mensagens de texto, vídeo ou voz; ou o Brevitas 2, que por R$ 79,90 ao ano permite que o usuário grave quantas mensagens quiser. Esse plano ainda tem a quantidade de destinatários e bens virtuais ilimitados.



Os bens virtuais são todas as contas e cadastros existentes na internet. Se você sempre se perguntou o que seria dos seu e-mails, blogs, sites e redes sociais após sua morte, adicionalmente, o serviço Brevitas permite, ainda, que o cliente decida o que fazer com esses bens virtuais após o dia fatídico. É possível transferir um blog ou site para alguém continuar o trabalho que você começou, incluir um novo status ou mensagem no perfil, alterar a foto de perfil para uma outra mais adequada, desabilitar as contas que não são importantes e etc. Essa é uma ótima oportunidade para você deixar pronta a sua twitada final e anunciar sua “partida” em apenas 140 caracteres.



CURIOSOS AINDA TRIUNFAM



Com menos de um mês de existência, o site já possui mais de 200 clientes cadastrados. Segundo Luiz, o número de clientes cresce 7% a cada dia, mas isso também se deve a curiosidade das pessoas, que querem, na verdade, ver como o serviço funciona. Para esses, existe o plano gratuito, o mais procurado por enquanto. “Oferecer pacotes gratuitos tem suas vantagens. Desta forma o serviço consegue ter uma visibilidade muito maior e atingir mais pessoas. Além de que assim as pessoas possam conhecer e entender este novo conceito e enxergar o valor do serviço que oferecemos”, disse. Apesar de não ter custo algum, esse pacote também oferece o funcionamento normal e suporte completo, limitando somente a quantidade e tipo de mensagem.



De acordo com uma pesquisa que foi realizada para saber o perfil dos primeiros clientes, a idade média dos cadastrados é de 35 anos, sendo que 55% são homens e 45% mulheres. Um dado curioso é do estado civil da maioria dos clientes, pois os solteiros(as) representam metade dos cadastros atuais, enquanto 30% são casados(as) e 20% divorciados(as) ou viúvas. Ou seja, parece que os solteiros têm mais coisas para dizer do que os casados.



Para o fotógrafo, Thiago Monteiro a oportunidade é única e vale a pena. “Ter a oportunidade de dizer adeus para as pessoas importantes na minha vida não tem preço. Sem contar que posso revelar um sentimento guardado para os familiares que estão há quilômetros de distância”, ressalta. Já a secretária Danyelle Amaral, acha que tudo o que tem que ser dito em vida. “Esse negócio de ficar revivendo o passado pode até deixar as pessoas que amam ainda mais tristes. Acho que não adianta muito”, comenta.



PRIVACIDADE MESMO APÓS A MORTE



Quando se trata da intimidade de uma pessoa, uma das principais preocupações que se deve ter é a garantia de privacidade e segurança, tanto dos dados pessoais como do conteúdo armazenado. Por esse motivo, é utilizado um certificado de Validação Avançada verificado pela GlobalSign, empresa de segurança virtual conhecida mundialmente. Com essa tecnologia, todas as senhas e mensagens cadastradas são imediatamente criptografadas pelo sistema, bloqueando a possibilidade de qualquer outra pessoa conseguir acessá-las. Até mesmo as pessoas que controlam o site, só tem acesso às informações no momento certo (momento para eles é o momento mais errado para você: sua morte)!



COMO FUNCIONA (PASSO A PASSO):



1° passo: Efetuar o cadastro no site www.brevitas.com.br informando um usuário e senha que servirão para acessar a área restrita, onde ficarão armazenados as mensagens, os verificadores, os contatos destinatários e os bens virtuais.



2° passo: Escolher o plano mais adequado aos seus interesses.



3° passo: Criar as mensagens utilizando os recursos que o site desenvolve. Com um editor de texto é possível criar mensagens personalizadas com recursos avançados, utilizando o microfone é possível gravar mensagens de voz e através de uma webcam pode-se gravar um vídeo do jeito que preferir...



4° passo: Morrer. Quando chegar esse momento, o site será encarregado de enviar todas as mensagens cadastradas aos destinatários correspondentes. Neste momento, também é iniciado o trabalho nos bens virtuais, conforme os desejos requeridos.



Gostou? Passou dos 50 anos e os pensamentos sórdidos sobre sua própria morte passaram a ser mais frequentes? Acesse: http://www.brevitas.com.br

Leia Mais…

7 de abril de 2011

GAROTA DE PROGRAMA AVALIA O FILME "BRUNA SURFISTINHA"

Sim, o Palhaço Nostálgico foi ao cinema com uma garota de programa para ela comentar, analisar e apontar as semelhanças entre o filme e a sua vida..! O filme Bruna Surfistinha, estrelado por Deborah Secco, vem alcançando um sucesso gigantesco. Desde sua estreia, no dia 25 de fevereiro, o longa já arrecadou cerca de R$ 18 milhões e ultrapassou a marca de 2 milhões de espectadores. Na trama, baseada na vida da ex-garota de programa Raquel Pacheco, drogas, promiscuidade e violência se alternam em mundo repleto de luxo, glamour e poder. Mas será que a vida de alguém que segue o mesmo caminho da personagem se assemelha com a história contada no cinema? Para tirar essa e outras dúvidas, eu acompanhei uma garota de programa em uma das sessões do filme. A acompanhante topou fazer as análises e os comentários pertinentes, se baseando na própria história e em tudo o que vê a seu redor.



O salto alto, a maquiagem e as joias escancaram uma mulher confiante. O corpo definido demonstra a preocupação exacerbada com o físico, sua principal arma de sedução. Assim é Laura, acompanhante de luxo que já trabalha no ramo há quase dez anos, quatro deles, em Londres, cidade onde morou algum tempo. Em seu site, praticamente todo em inglês, a descrição que ela mesma faz do serviço que oferece é curta e clara. “Meu atendimento é vip e personalizado. Não estou disponível para muitos, pois prefiro manter um grupo seleto de amigos. Se demonstrar interesse em um encontro seja o mais específico possível”, salienta. Laura afirma que o filme retrata uma verdade, mas não a verdade absoluta. “Cada caso é um caso. Não podemos generalizar e falar que todas passam pelas mesmas coisas, mas muitos dos elementos mostrados é a mais pura realidade”, destaca.


"Fazer programa é um hobby para mim”


No auge da carreira, Laura chegou a esbanjar: ganhava até 10 mil libras por mês, (em torno de R$ 26 mil reais). Sem precisar se preocupar com dinheiro, ela acabou se acostumando com o glamour que uma vida como essa proporciona, mas sempre se atentou para não deixar isso subir a cabeça, como ela acredita que aconteceu com Bruna. “Acho que eu não deixei o glamour me consumir porque, quando comecei, não era mais tão jovem. De qualquer forma, é difícil abrir mão disso depois que se tem uma prova”, argumenta a acompanhante.



Assim como a personagem do filme, Laura também resolveu deixar sua confortável vida de classe média para se transforma em uma garota de programa, pois se sentia incompreendida e queria se tornar independente. Porém, ao contrário de Bruna, ela não decidiu levar essa vida enquanto era adolescente, mas só depois de completar 30 anos de idade. “Não é comum começar nessa idade, mas foi na época em que eu percebi que tinha que mudar minha vida”.


Apesar de não se sustentar mais só dos programas que faz, a garota de programa assume que vive muito bem financeiramente e interpreta os programas como um simples passatempo. “Hoje em dia, eu faço faculdade, tenho outros trabalhos e encaro esse serviço mais como um hobby”, explica. Ela cobra de R$ 400 a R$ 1,5 mil por programa e tem uma média de três encontros por semana Hoje, seu maior meio de divulgação é a internet. Apesar de não ter se tornado uma celebridade do mundo virtual como Rachel Pacheco – que contava suas noites íntimas através de um blog – a brasiliense também usa a internet para se promover. “Já participei de um site conhecido no Reino Unido e considero o meio muito importante. Definitivamente, internet é o que há”, conclui Laura.


Sexo e drogas... e mais drogas.


No filme, a cocaína é consumida diversas vezes. Laura assume que é algo comum. “Não tem como negar que a droga está presente nessa rotina. Eu mesma já experimentei muita coisa”, revela a acompanhante. Já o uso de preservativo não é reforçado no filme. Em uma cena de alguns segundos, Bruna é mostrada enquanto abre uma camisinha. Sobre isso, Laura disse que deixar o acessório de lado não é comum, mas acontece. “Eu já deixei de usar pelo menos umas três vezes”, confessa.



O perigo de amar e ser amada...



Bruna Surfistinha teve casos que se prolongaram por conta de alguns clientes apaixonados. Presentes, jantares e até mesmo dinheiro foram oferecidos com o objetivo de tirar a mulher daquela vida. Pode até parecer ficção, mas não é. Laura garante que também já houve casos em que clientes confundiram o trabalho com amor. “Um senhor chegou a me sustentar. Ele me dava tudo do bom e do melhor. Assim, eu nem precisava trabalhar”, conta. Depois de adquirir um certo status, a acompanhante vip decidiu investir em si própria. Já é formada e está cursando a segunda graduação. “No fim do filme a personagem fala que, depois de tudo, passou a se conhecer muito mais. Nisso eu concordo plenamente. Tudo foi parte de um processo de autoconhecimento e hoje eu não me arrependo de nada. Adoro o que me tornei e só me tornei o que sou por tudo que passei”, finaliza.



Se você ficou curioso e deseja conhecer uma pessoa assim, procure entre as profissionais do ramo, pois quem sabe você não encontra uma versão diferentemente similar da Bruna Surfistinha...



*Matéria publicada no Jornal Alô Brasília

Leia Mais…

22 de março de 2011

PALHAÇO NOSTÁLGICO NO DIA MUNDIAL DA ROUPA DE BAIXO

video

"É UM COULÍLIO PUS NOSSOS OLHOS"

E olha que eu ainda mantive a postura hein?/ rs

Leia Mais…

19 de janeiro de 2011

ENCHENTE DE HIPOCRISIA

Não é de hoje que podemos constatar que, no Brasil, a catástrofe e a hipocrisia andam de mãos dadas. Uma semana após a tragédia no Rio de Janeioro e eu ainda estou impressionado como o brasileiro só faz as coisas por pressão. Só rende, evolui e produz por pressão! O que eu estou vendo de pessoas “engomadinhas” querendo doar para aparecer ou simplesmente para dizer que acertou as contas com o cara lá de cima não caberiam nas linhas propostas para protesto silencioso.


Vejam bem, esse desastre foi algo indiscutivelmente triste e que precisa da reflexão de todos. Mas essa tragédia só fez milhares de pessoas ficarem iguais a outros milhares espalhados por esse Brasil a fora. Será que precisa acontecer algo de proporções tão grandes para o brasileiro abrir os olhos para enxergar e as mãos para estender à pessoa ao lado que clama por socorro?


No desastre que aconteceu em Santa Catarina no ano de 2008, por exemplo, a Defesa Civil calculou que foram doados aos flagelados pela chuva 4,3 milhões de quilos de alimentos, 2,5 milhões de litros de água, brinquedos, materiais de limpeza e de uso pessoal e um milhão de quilos em roupas e sapatos! Dinheiro? 33 milhões de reais! (pelo menos)


Já no caso do Rio de Janeiro, não está sendo diferente, a comoção também é enorme, e ricos e pobres doam seu tempo, seu dinheiro e seu suor para as vítimas das cidades atingidas pela chuva. O que eu acho disso? A hipocrisia escancarada e assumida! Claro que o que ocorreu em Santa Catarina e no Rio de Janeiro merece todo o apoio do nosso povo, mas são em horas assim que fico pensando: onde estava toda essa gente solidária antes disso, e aonde vai estar depois?



RJ: Cerca de 25 mil desabrigados e desalojados. 513 desaparecidos, mais de 800 ÓBITOS e o número não pára de crescer.



BRASIL: MILHÕES de desabrigados, desalojados, desaparecidos, mendigos e miseráveis morrendo todos os dias!



Conclusão Moral:
Ajude o Rio de Janeiro! Mas também ajude a Bahia, Ceará, São Paulo, Piauí..................

Leia Mais…